O trabalho de Rafael G. Antunes (Lisboa, 1977) propõe reflectir e explorar, com o recurso à imagem fotográfica e videográfica, as tensões e as dinâmicas transitórias nos conceitos de identidade, memória colectiva e individual, e de Património Cultural (quer seja material ou imaterial) quando confrontados com a compressão do espaço geográfico – através do encurtamento da noção de tempo – que a mundi-visão e os progressos tecnológicos impuseram à Humanidade. Tendo por base uma abordagem metafórica, as suas imagens posicionam-se em contraponto às percepções culturais actuais, reféns de acções simbólicas geradas, partilhadas e consumidas de uma forma cada vez mais global.

Em 2019, e depois de um percurso de 21 anos a fotografar para a Imprensa Portuguesa como free-lancer, começa a pensar a fotografia – e concretamente o retrato – de uma forma mais filosófica e conceptual. Esta sua nova abordagem à imagem fotográfica – mas também videográfica – leva-o a ingressar, em 2019/20, na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa, onde frequenta os cursos de Estética, e História da Arte Contemporânea I. Em 2020/21, na mesma instituição, frequenta os cursos de Cultura Visual e teoria da Imagem, e História da Arte contemporânea II.

Formado em Fotografia pelo IADE (Faculdade de Design, Tecnologia e Comunicação) em 1999, cursou, em 2003/04 e 2005/06, Antropologia na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Ao longo dos últimos 16 anos frequentou inúmeros cursos no Cenjor (Formação Profissional para Jornalistas).

Prémios

– 2020 – Finalista – 6th Fine Art Photography Awards

– 2020 – Finalista – Siena Creative Photo Awards

– 2020 – Menção Honrosa – International Photography Awards

– 2020 – Editor´s Pick – Life Framer “Humans of the World” Awards

– 2021 – Menção Honrosa – Tokyo International Photo Awards

– 2021 – Finalista – 7th Fine Art Photography Awards

Exposições individuais

-2020 – Casa de Cultura Jaime Lobo e Silva, Ericeira

– 2021 – Museu Municipal de Ferreira do Alentejo